segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Devaneios matinais de um amigo

Ao piar do alvorecer
Pela rua, sigo meu caminho, sozinho,
A espera de algum brilho
Que me traga o destino.
A passos largos vou longe,
chego mais perto.

Brilho da manhã,
 seja digno de ser meu guia!

Deitarei-me
E debaixo dos primeiros raios de sol
Hei de dormir e esquecer
Do triste som dos brilhos do alvorecer.

Co-autoria de Rafael Consolmagno

Nenhum comentário:

Postar um comentário