segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Novos tempos

Neste mundo de infinitas melodias
Procurava aquela para me acalentar
Tantos sons a escutar
Intermináveis dias a me perguntar
Será mesmo que haveria de a encontrar?

Hoje, já sou homem feito,
Calejado pelo tempo,
Tenho meus defeitos
Não mais acredito mais em contos de fada,
Mas sem teu conto talvez não seja nada
Sou o vento

Optei sim por sair do confortante conformo de teu seio
Em busca da minha vida,
Minha alegria,
Meu meio

E nessa nova vida escolho qualquer melodia
Sem esquecer-me do que passou, sigo em frente,
Ressequido, contente, experiente, deprimente
Sou o que fui, mas sou mais o que sou

E hoje sem desculpas, aceito com um sorriso o que me arrebata de repente
Poderia até esperar, mas ninguém me esperou.
Novos tempos, aqui já estou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário