quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Fim da noite


Pediu-me a noite lúbrica,
sussurrou aos meus ouvidos em tom de súplica
para que eu ficasse, para que ela me fosse a única,
"Me ame como nunca"!
- Eu fico!

Acabo por deitar-me na límpida catividade dos lençóis
Coração ainda em chamas, teu perfume em minhas entranhas.
Lá fora se lamuriam os pássaros da manhã
que não possuíram a lua nem as estrelas, porquanto desconhecem suas artimanhas.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Gente, doida

Tem gente que toma remédio,
morre de tédio
e meu Deus, tem até gente que pula do prédio.

Não sei se tem gente doida porque não tomou o remédio,
tomou o remédio e ficou doida,
ou porque ao redor tem gente ainda mais doida que remédio algum resolva.

Quer ser normal?
Abre a boca, é só mais uma gota!