quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Alívio de domingo


Onde moro tem tudo, falta nada

Sobra gente politicamente bem posicionada a esmo

Desconformada, desconfiada e revoltada

Só hoje que faltou luz, cidadania, bom senso

Meu Deus, faltou até água!

 

Banho de canequinha, em pequenas doses

Como Martina que conheci no bar da esquina – garota Argentina

pensei bêbado em ti na matina

enquanto o vizinho de cima dava uma transadinha

 

mas sem problema, a vida é bela

olho pro céu pensando em como devem ser as estrelas

uma pena eu só conseguir ver mais de cem janelas

sob a neblina monóxi-carbônica daquelas 62 parcelas

 

todavia tenho um alívio,

hoje é quinta, mas te tenho no sábado

e espero acordar contigo no domingo

não é de todo ruim, pois num lugar desses, todos precisamos de um amigo.

E com tantas gentes por aí, a solidão pode sempre ser um perigo.

 

E depois a semana continua

dela nada nada nada espero

A não ser nossa síndrome de Édipo

Cidadãos ecléticos, epilépticos, esqueléticos

Prédios e mais prédios

Ah, e em meio a toda estripulia, rima ridícula
e adultério
Saiba que ainda te quero
mas com a vida tão corrida, vai saber se espero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário